Ministério de Música e Artes e a Formação dos Pilares da Reconstrução

 

O Ministério de Música e Artes é no movimento da Renovação Carismática a reunião dos artistas da Igreja. Este ministério envolve dançarinos, cantores, atores, músicos e artistas que utilizam de seus dons para servir a Deus da melhor forma possível.

 O Ministério de Música e Artes possui a missão levar o batismo no Espírito Santo, que a ação sublime de Deus, por meio das artes, seja na música, dança, teatro, pintura entre outros.

 

Diante das alegrias e de um coração contrito e agradecido a Deus, muitas vezes, o que resta às pessoas é render louvores e glórias. Entretanto, quando a tristeza e o sofrimento se fazem presentes o maior desejo é encontrar palavras que demonstrem os sentimentos mais profundos da alma. E assim, o ministério de música e artes, com seus servos que são artista, dão voz a todas as alegrias e dores daqueles que necessitam conversar com Deus. Este é um ministério onde é preciso humildade e alegria ao servir. Deste modo, aconteceram no mês de junho as primeiras formações do ano, com o tema: Pilares da Reconstrução, que são quatro: Oração, Formação, Comunicação e Missão. Estiveram presentes (e pregando) nesses dias os servos do núcleo diocesano do ministério, Fabinho (coordenador), Regiane, Rúbia e Tadeu. Nas formações aconteceram também momentos de partilhas sobre as práticas espirituais (como a oração do terço, adoração, jejum, leitura da Palavra), as necessidades pessoais e espirituais e também sobre a missão do ministeriado.

 

Fabinho em uma breve entrevista falou sobre o ministério de música e artes.

 

- Como foi a primeira parte da formação, o que deu para avaliar?

Estes quatro primeiros pilares já vivemos na diocese e posso dizer que é graça de Deus para nós, enquanto ministério de música e artes. É um tempo reservado para a  reconstrução das nossas vidas e ministério, de escuta da voz de Deus para que cada de nós seja caminho da graça de Deus.

 

- O que você espera da segunda parte?

No mês de julho daremos continuidade a essa reconstrução, que nesse segundo tempo que o Senhor reservou para nós, espero que os ministeriados estejam mais presentes, que possamos entender o chamado de Deus, que cada servo do grupo de oração se deixe ser alcançado.Continuarei a orar para que juntos permaneçamos na unidade.

 

- Qual o maior obstáculo que você enfrentou para iniciar este trabalho na diocese?

As maiores dificuldades foram pessoais, pois precisei aceitar e reconhecer que errei, que demorei como coordenador diocesano, que precisava recomeçar. Fiquei com medo e insegurança e estas foram as maiores dificuldades, foi preciso me humilhar diante da presença de Deus, assim pude experimentar o novo, dar passos e começar. E o Senhor vem confirmando a cada dia a importância de confiar Nele e seguir em frente.

 

- Uma mensagem para todos os ministeriados de artes da diocese

Persistam no seu chamado, queiram apenas ser caminho da graça, aproximem-se cada vez mais de Jesus, pois podemos fazer muitas coisas, mas longe de Deus nada será bom. Não é o cantar, o dançar, o atuar, mas sim a ação Dele em cada coisa que fazemos, é preciso ter a certeza de que é Deus quem tudo faz, nós somos apenas o caminho.